Halia – Malay for Ginger

30/04/2015, Por

 

Escondido no exuberante Ginger Garden do Jardim Botânico de Cingapura com mais de 250 espécies de gengibre com folhagens deslumbrantes, Halia – Malay for Ginger é um restaurante rodeado por esta linda vegetação e ideal para quem quer fugir da agitação da cidade. O restaurante foi construído junto com o desenvolvimento do Ginger Garden no ano de 2000 com uma arquitetura integrada a natureza e muito discreta que traz o verde para dentro do espaço. Piso de cimento com ladrilho hidráulico, estrutura metálica, forro de madeira e ventiladores deixam o ambiente super descontraído e uma ótima parada no meio do passeio pelo Jardim Botanico que é um “must see” da cidade.

 

 

O Halia oferece uma grande variedade de cozinha asiática com influencias de gengibre além de opções mais ocidentais e chá da tarde. A comida é deliciosa e experiência de comer no meio do jardim imperdível!!!!

 

Berners Tavern

27/04/2015, Por

 

Paredes inteiras cobertas por obras de arte, forro de gesso ornamentado, iluminação baixa e bar animado fazem do Berners Tavern uma parada obrigatória em Londres nem que seja para tomar um drink no bar ou chá a tarde. O badalado restaurante fica no Hotel Edition e o seu projeto assinado pelo hoteleiro Ian Schrager foi vencedor do premio de melhor Interior Design de 2014  pelo European Hotel Awards. Sob direção do chef Jason Atherton, o restaurante tem um menu britânico contemporâneo que oferece o melhor da gastronomia local durante o dia todo já que fica aberto desde o café da manhã até o jantar sem contar com o Brunch nos domingos.

 

 

O Barners Tavern é um sucesso absoluto em Londres então não esqueça de fazer a sua reserva antes de ir!

 

Anish Kappor

22/04/2015, Por

Talvez por ser arquiteta, um dos artistas que mais me intrigam e inspiram é o indiano-britânico Anish Kapoor. Sua obra cruza inúmeras vezes a fronteira entre a arte e arquitetura e ainda repetidamente nos faz perceber o espaço de perspectivas surpreendentes. De diferentes maneiras suas obras nos fazem parar e refletir. As cores e os materiais que ele emprega são marcantes e reforçam este mistério apaixonante que marcam seu trabalho. Para quem estiver em Londres, sua obra está exposta na Lisson Gallery:

 

Casa AL

10/04/2015, Por

 

O pedido do cliente para Arthur Casas foi: “aproveitar ao máximo a paisagem e o mar do Rio de Janeiro”, e ele não podia ter feito um projeto melhor! Situada no bairro do Joá no Rio de Janeiro, a casa possui 485m² e se integra totalmente a paisagem. Para isso o arquiteto elevou a enrtada, a área social e a piscina para o segundo pavimento, acima dos quartos de hóspedes e da área de serviçco rodeados por um jardim.

 

 

Para valorizar a paisagem, extensos panos de vidro se recolhem entre paredes, fazendo do living e terraço um ambiente único. “Há situações em que essa vista é de tirar o fôlego, por isso, as áreas de convívio precisavam estar alinhadas para tirar partido dessa situação particular. Grandes vãos aumentam a sensação da escala da residência, mas, via de regra, nossos projetos tem a mesma dimensão de uma construção convencional”, comenta.

 

 

Do mesmo modo que receber era importante, a privacidade na área intima mostrou-se primordial. Um terceiro pavimento, de menor proporção, recebeu a suíte máster e o escritório, todos voltados para o horizonte. Quanto aos materiais, buscou-se mimetizá-los à paisagem, o que resultou no uso da pedra e da madeira. Já o projeto de interiores e a decoração valorizaram conforto e despojamento, ao mesclar mobiliário brasileiro com peças garimpadas no exterior.

Art Basel

01/04/2015, Por

 

A semana mais movimentado no calendário de arte contemporânea de Hong Kong chegou ao fim dia 17 de março com a conclusão da terceira edição da Art Basel Hong Kong, mais importante feira de arte contemporânea da Ásia. Cerca de 60.000 visitantes passaram pela feira incluindo algumas celebridades como Susan Sarandon, Gwyneth Paltrow, Wendi Deng e Dita Von Teese.

 

 

Foram vendidas obras de artistas como Damien Hirst, Fernando Botero, Atsuko Tanaka e Wifredo Lam. “Este ano especialmente temos visto muito mais ação, muito mais interação, e muito mais o interesse de colecionadores locais e regionais em nomes menos estabelecidos”, disse Larkin Erdmann, diretor da Massimo de Carlo Galeria de Milão e Londres . A feira realmente mostrou que a arte contemporânea já foi exclusiva a um pequeno círculo de colecionadores que estavam concentrados em lugares como Nova York ou Londres e agora é muito mais um fenômeno global.

 

Página 3 de 14« Primeira...2345...10...Última »